Porta do Sol

Centro de Estudos Xamânicos de Expansão da Consciência

Para contribuir com este projeto clique aqui

Brasil

Copyright © 2015 Porta do Sol - Centro de Estudos Xamânicos de Expansão da Consciência.

 

Todos os direitos reservados.

 

O conteúdo deste site tem seus direitos reservados e protegidos pela lei nº 9.610/88 (lei de direitos autorais). Não é permitida a modificação ou a reprodução total ou parcial por quaisquer meios sem autorização prévia e formal do Centro de Estudos Xamânicos de Expansão da Consciência Porta do Sol

Ayahuasca e saúde

7 Aug 2017

 

Antes de começar, preciso dizer que este Sacramento somente faz bem a saúde, levando a pessoa ao bem estar, fisico, mental e espiritual. Porem tem coisas que o mestre irineu chamava de "sentença" ou seja sentença do divino e nesta situação nada se pode fazer. Assim tem doentes que se curam, e outros que passam a entender melhor o que estão sofrendo.

 

Portanto nada se pode prometer.

 

A Ayahuasca é uma bebida que possui propriedades psicoativas devido à presença, nas folhas da Chacrona, de uma substância denominada N,N-dimetiltriptamina (DMT), cuja molécula é similar à molécula da serotonina e encontra-se presente no organismo humano. O chá também atua como inibidor da monoamina oxidase (MAO) devido à ação de β-carbolinas (Harmina, Harmalina e Tetrahidrahamina), alcalóides presentes no cipó Caapi. Se ingerida isoladamente, a DMT é metabolizada pela MAO no estômago sem chegar ao cérebro. Porém, os efeitos inibidores da MAO possibilitam a ação psicoativa da DMT, agindo nos circuitos neurotransmissores de serotonina, noradrenalina e dopamina.

 

De acordo com estudos científicos, a Ayahuasca apresenta um bom grau de tolerabilidade e segurança, havendo inúmeras evidências acerca de seus benefícios potenciais, desde que consumida em contexto protegido e com certos cuidados. O uso da Ayahuasca pode implicar em experiências pessoais intensas, sejam físicas, como tendência a aumentar a pressão sanguínea, entre outras sensações, e/ou subjetivas, caracterizadas pela introspecção, mirações, vivências de memórias pessoais e mudanças nas esferas perceptivas, afetivas, cognitivas e somáticas, produzindo a experiência subjetiva de bem-estar e alteração da consciência.

 

Restrições e Interações com outras substâncias (medicamentos, plantas medicinais e alimentos)

 

Em alguns casos, no entanto, pode haver efeitos adversos, como náuseas, inquietação, ansiedade, desorientação transitória, entre outras reações. Existem certas condições de saúde física e mental pré-existentes em que não se deve utilizar Ayahuasca ou consumi-la com cautela, como, por exemplo, nos casos de:

 

- Doenças cardiovasculares e cardiorespiratórias;
- Hipertensão grave;
- Transtornos mentais graves (ex: psicoses, esquizofrenia, transtornos de humor, transtornos de personalidade) ou antecedentes familiares
- Epilepsia;
- Doenças infecciosas agudas;
- Doenças hepáticas (ex: Hepatite A,B,C,D, E, F, G; cirrose);
- Fraturas ou cirurgias recentes;
- Transplantes;
- Gravidez de risco.

 

A Ayahuasca não deve ser consumida no caso de uso de certos medicamentos, como os antipsicóticos (ex:clorpromazina, levomepromazina, haloperidol, risperidon, olanzapina, clozapina, etc.) e estabilizadores do humor (ex:lítio, ácido valpróico, carbamazepina etc.)

 

A Ayahuasca deve ser consumida com restrição, não sendo indicada o uso concomitante ao uso de medicamentos antidepressivos e substâncias com efeitos nos níveis de serotonina (ex: fluoxetina, paroxetina, venlafaxina, citalopram, sertralina, amitriptilina, bupropiona, imipramina etc), incluindo algumas plantas medicinais (erva de São João, ginseng). Os medicamentos classificados como substâncias serotoninérgicas, que aumentam os níveis de serotonina no cérebro, podem provocar uma potencialização do efeito do chá, causando a síndrome serotoninérgica, cujos efeitos podem ser fatais. Nesses casos, recomenda-se a descontinuidade do uso de antidepressivos pelo menos de 3 a 5 dias antes de consumir do chá.

 

A Ayahuasca também apresenta interação com antibióticos (Linezolid) e outras substâncias psicoativas, não sendo recomendada para pessoas que estejam fazendo uso de álcool, cannabis, cocaína, dextrometorfano (DXM), anfetaminas, metanfetaminas (MDMA), ecstasy, mescalina psilocibina e LSD.


Não existe qualquer restrição sobre a participação nas reuniões de mulheres quando estão na fase “de menstruação”, no entanto, deve-se ter algum cuidado necessário quanto aos estados de sangramentos.


Alimentos ricos em Tiramina também devem ser evitados 24 horas antes e depois do uso da Ayahuasca, pois a ação inibidora da MAO pode elevar o níveis de Tiramina no organismos, podendo elevar a pressão sanguínea e causar enxaquecas. Geralmente, alimentos envelhecidos, fermentados ou defumados, como:
- Carnes ou peixes envelhecidos, fermentados, defumados ou desidratados
- Cerveja
- Embutidos (salsichas, salame, linguiças)
- Feijões
- Frutas secas
- Laticínios próximos a data de vencimento, fermentados
- Molho de soja
- Queijos;
- Vinhos

 

OBSERVAÇÃO

 

É importante destacar que nos tempos do Mestre Irineu não havia qualquer restrição; é com humildade e por respeito aos nossos "irmãos" que decidimos alertar sobre as questões acima mencionadas.

 

Referências


Santos, RG. AYAHUASCA: neuroquímica e farmacologia. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. (Ed. port.) v.3 n.1 Ribeirão Preto fev. 2007. 
Ayahuasca Scientific Literature Overview conducted by José Carlos Bouso for The International Center for Ethnobotanical Education, Research & Service (Disponível em: http://www.iceers.org/science-interest-ayahuasca.php?lang=en)
http://www.ayahuasca.com/…/what-foods-and-drugs-need-to-be…/
http://www.nature.com/…/ayahuasca-psychedelic-tested-for-de…

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload